A PJ

PASTORAL: Porque nosso modelo é Jesus, nosso pastor. Fazer pastoral é fazer o que Jesus fez, é continuar sua missão. Pastoral é serviço, ação, trabalho de quem segue Jesus Cristo. É ação organizada que atende uma realidade específica.

DA: Pastoral DA Juventude e não DE Juventude. Significa que é dos jovens. É o jovem sendo apóstolo do próprio jovem. O Jovem é o protagonista.

JUVENTUDE: É uma fase de grandes transformações em que o jovem busca sua definição pessoal e social. É o momento de tomada de posição diante da vida, decidindo entre diversas opções que podem determinar o futuro. É tempo de viver com entusiasmo a busca da utopia.

Em outras palavras, Pastoral da Juventude é a ação da Igreja que ajuda os jovens a descobrir, assimilar e comprometer-se com a pessoa de Jesus Cristo e com seu Evangelho. Esta experiência deve levar o jovem a uma ação transformadora.


Para alcançar seus objetivos a Pastoral da Juventude tem uma forma de trabalhar (metodologia) que foi construída ao longo de vários anos de história.

A opção da PJ é a metodologia participativa, onde todos têm a oportunidade de refletir, opinar, decidir e agir em conjunto. O método VER-JULGAR-AGIR-REVERCELEBRAR é um elemento importante desta metodologia. Essa prática promove o crescimento gradual do jovem em todas as suas dimensões (formação integral).

A participação do jovem no grupo de base é o principal meio utilizado pela PJ para atingir seus objetivos. O acompanhamento dos jovens e dos grupos, realizado pela assessoria, também é fundamental.

Para facilitar o processo de formação e a participação efetiva dos jovens, a PJ deve ter uma organização nas paróquias, nas regiões, na diocese, etc.

O método VER-JULGAR-AGIR-REVER-CELEBRAR procura integrar fé e vida. Parte da realidade e leva a uma ação transformadora.

VER – Tomar consciência da realidade.
JULGAR – Confrontar a realidade com o Evangelho.
AGIR – Realizar uma ação transformadora.
REVER – Avaliar os resultados para criar uma nova ação.
CELEBRAR – É reconhecer a presença de Deus na caminhada. É recordar conquistas e dificuldades, e ganhar força para novos desafios.

ORGANIZAÇÃO DA PJ

Coordenador de grupo de jovens

Ao sentirem a necessidade de estarem juntos, os jovens se reúnem nos grupos de base. Grupo de base é o conhecido grupo de jovens. Chamamos de grupo de base porque são a base da PJ e também da Igreja, é o piso, o primeiro local onde os jovens se encontram na pastoral para construir o Reino de Deus. Ali, um dos jovens é eleito coordenador para ser o elo com a PJ paroquial, representando o grupo e garantindo a unidade do trabalho.

PJ na paróquia

Os jovens dos diversos grupos de cada paróquia elegem uma Coordenação Paroquial. Esta deve estar a serviço dos grupos para que haja comunhão entre os mesmos e participação ativa na caminhada da PJ na Região Episcopal, no caso da Arquidiocese de São Paulo, ou da diocese, no caso de outras cidades.

PJ nos setores pastoais

As paróquias mais próximas, normalmente com uma realidade mais parecida, são reunidas em setores pastorais. Assim, os grupos podem ter contato com outras paróquias e trocar experiências. Em nossa Região Brasilândia, somos divididos em 7 setores: Perus, Freguesia do Ó, Nova Esperança, Pereira Barreto, São José Operário, Cântaros e Jaraguá.

PJ na Região e nas demais instâncias

Assim como nas comunidades, paróquias e setores, a PJ tem sua coordenação na Região Episcopal, que tem a função de ajudar jovens dos setores, paróquias e grupos de base a desenvolverem seus trabalhos e responde no Conselho Regional de Pastoral, formado por coordenadores e assessores de todas as pastorais da Igreja na Região Episcopal.

Fazemos parte da Região Episcopal Brasilândia, que abrange a zona noroeste da cidade de São Paulo e compõe a Arquidiocese de São Paulo, junto com outras cinco Regiões Episcopais: Belém, Sé, Santana, Lapa e Ipiranga.

A PJ tem representantes em todas as instâncias, até chegar na coordenação nacional, que forma a Pastoral da Juventude do Brasil, que está inserida no Setor de Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que por sua vez é acompanhado pela Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, também da CNBB.

Como você vê, seu grupo de jovens não está sozinho, ele faz parte de um grande corpo da juventude católica. Sozinhos somos poucos, juntos fazemos a diferença!

Fonte: Pastoral da Juventude – Diocese de São José dos Campos